Archive

Archive for the ‘São Paulo’ Category

São Paulo higienizado, ou como 3 milhões cabem em um espaço para 100 mil.

Sempre amei São Paulo e passei a amar mais ainda depois das aulas de urbanismo que tive com o professor Jairo Ludmer na Faculdade de Belas Artes, onde me formei já vão décadas.

Jairo nos levava para o centro da cidade, à noite. As aulas eram in loco, seu ensino peripatético cravou na minha alma ainda mais o amor à história da cidade. Aprendi com ele como o tecido urbano ainda guarda elementos representativos de nossa história material e imaterial por meio de suas construções e, até mesmo, por meio da fala de seus espaços vazios que igualmente revelam tanto como os ocupados.

A Virada Cultural, com um público estimado em 3 milhões de pessoas, fazia dessa cidade, em horas antes mortas, o cenário a ser vivenciado e apreciado entre o deslocamento de um palco a outro, de um show a outro. O centro pulsava, revivia como na época dos grandes cinemas e espetáculos e de outros tempos em que tudo lá ocorria, antes que a nossa generosa geografia permitisse que São Paulo se espraiasse deixando para trás, como áreas necrosadas, espaços que não mais interessavam para a elite.

A atual gestão Haddad perdeu uma excelente oportunidade em juntar a Virada do Patrimônio a Virada Cultural. Mostrar e explicar melhor para a população que ali estava o que era tudo aquilo que viam, ou não. Perderam a chance de terem aberto o Terraço do Martinelli para se ver a cidade a meia-noite, terem o hall do velho Banco de São Paulo, melhor exemplo em arquitetura e decoração art-déco da cidade, ocupado com algum espetáculo. Isso para falarmos em apenas dois, das centenas de espaços possíveis e, quase, anônimos, que poucos viram e sabem do que estou falando.

Agora, o novo prefeito, que sonha com um parque no Jockey Club, em uma das áreas que mais tem opções de lazer de São Paulo, – ao contrário do Capão Redondo, onde as traves dos gols, quando existem, viram locais enlameados quando chovem -, anunciou que irá levar a Virada Cultural, de 3 milhões de pessoas, para Interlagos. Como fazer 3 milhões de pessoas caberem em um espaço que dificilmente cabem 100 mil não deve tirar o sono do atual alcaide eleito. Algum gráfico deve ter contentado o atual gestor, altamente capacitado para gerar uma das maiores metrópoles do mundo, após o seu merecido descanso em Miami, necessário após vencer a disputa eleitoral.

A cidade é vida, é pulsante, assim como a história, tecnocratas já tentaram domá-la, e falharam miseravelmente. Prestes Maia que o diga. Seu arrojadíssimo Plano Avenidas tornou-se defasado após alguns anos de implementado.  O alcaide eleito, ainda não empossado, além de domá-la quer higienizá-la, a começar pelo próprio centro a quem nega a vida levada pela Virada. Quer limpá-lo, quer trocar lâmpadas, limpar jardins, arrumar o que está quebrado e pintar tudo. Falta saber quando virá a cúpula de cristal Swarovski para cobrir e, assim, preservar, sem vida, o centro de São Paulo puro, lido e belo, como uma pintura de Romero Britto.

Paulo Rezzutti

Eventos culturais do Turismo na História para o mês de abril de 2015

  • No sábado, dia 25/04, no período da manhã, das 9 as 12hs temos: São Paulo literáriaA literatura, os boêmios e os vagabundos que marcaram a cidade com sua arte. Venha aprender conosco o que Monteiro Lobato, Alvares de Azevedo, Rudyard Kipling (criador do Mogli), Mário de Andrade e Guilherme de Almeida têm em comum com São Paulo! Nesse passeio cultural iremos mostrar onde viveram, trabalharam e nasceram os principais escritores paulistas e internacionais que passaram pela cidade. O passeio inclui uma visita guiada na Biblioteca Mário de Andrade, a 2ª maior do Brasil. Valor R$ 40,00 por pessoa. Para mais informações acesse: http://www.turismonahistoria.com.br/rot_SP_Literaria.htm
  • No mesmo dia 25, no período da tarde, das 14 as 17hs temos: Ouro Verde: o Café e a Cidade de São Paulo. O impacto de uma cultura na vida, na sociedade e nas artes de uma cidade. De onde veio o café? Como ele chegou ao Brasil e enriqueceu toda uma cidade e um país. Como eram as antigas cafeterias paulistas, quem as frequentava? Como esse fruto se misturou com a arquitetura paulista, qual a importância dele na criação de uma das principais e mais complexas ferrovias do mundo é o que iremos descobrir nesse passeio cultural. O passeio inclui um café no Café Girondino, uma dramatização feita com um ator e a visita a Vila dos Ingleses no bairro da Luz, com direito a visita a uma das casas do local que abrigou os engenheiros britânicos da antiga São Paulo Railway, atual sede do Sindicato dos Arquitetos no Estado de São Paulo. Valor R$ 45,00 Para mais informações acesse: http://www.turismonahistoria.com.br/rot_Cafeterias.htm
  • No domingo, dia 27/04 pela manhã, das 10 as 13hs temos: Da série bairros: Ipiranga. Da ermida da Luz no séc. XVI as independências política e industrial. Um dos bairros com mais histórias, não apenas da cidade de São Paulo mas do Brasil. Nasceu com uma capela, depois transferida de local, e foi povoada pelos “homens bons” vindos de Portugal. Da passagem do príncipe d. Pedro na região onde foi proclamada a nossa independência até a saga da empreendedora família Jafet que ainda marca sua presença no bairro com seus imponentes casarões. O passeio inclui a visita ao Memorial Madre Paulina, onde conheceremos a história e o local onde está enterrado a primeira “santa brasileira”. Valor R$ 35,00 Para mais informações acesse: http://www.turismonahistoria.com.br/rot_Ipiranga.htm

Para mais informações a respeito do Turismo na História, acesse: www.turismonahistoria.com.br

102 anos do Theatro Municipal de São Paulo

Hoje, a frota de automóveis da cidade de São Paulo já está sendo contabilizada em mais de 7 milhões de veículos. Em 1911, quando o Theatro Municipal de São Paulo foi inaugurado, havia somente 300 automóveis rodando na cidade. Desses, 100 entupiram as ruas Xavier de Toledo e Conselheiro Crispiniano. A elite elegante da capital inaugurava a modernidade paulistana pelo caos.

O Theatro Municipal passou pela minha vida em diversas ocasiões. Lembro quando, na década de 1980, minha mãe trabalhava em uma das empresas de engenharia responsáveis pela reforma e restauro do Municipal, e eu ganhei um visita monitorada por um dos mestres de obras. Depois, já na faculdade de arquitetura, um professor nos levou até o domo para nos dar uma aula a respeito de acústica. Posteriormente, como frequentador do lugar, assisti a diversas peças brilhantes e, para mim, até hoje inesquecíveis, como a recriação, pelo Ballet do L’Ópera de Paris, dos Ballets Russes de Dighaliev.

Por falar nos russos, a poetisa soviética Olga Berggolts tem uma estrofe que me faz recordar o teatro e suas histórias: “Saiba quem escuta estas pedras: ninguém, nem nada, será esquecido”. Se depender dos jornalistas Edison Veiga e Vitor Hugo Brandalise, certamente que não.

Ontem, 11 de setembro, foi lançada pela Ed. Senac a obra desses dois jovens: “O Theatro Municipal: histórias surpreendentes e casos insólitos”. Quem gosta de livro cheio de fotos coloridas para deixar em cima de algum móvel, um conselho: afaste-se. A obra não tem fotos, tem vidas.

Vida e história é o que não faltam nas narrativas rápidas e com expertise jornalística, que eu devorei em uma noite. Depois da leitura, é impossível não imaginar o que as elegantes senhoras em seus vestidos de gala e os vetustos senhores de fraque, na inauguração de 1911, pensariam ao verem, oitenta anos depois, adentrar no palco do Teatro uma modelo nua para entregar um prêmio. Essas e outras histórias, como o neto de um dos empreiteiros que se ofereceu para restaurar de graça o teatro, estão nessa obra de uma sensibilidade ímpar. O livro de Veiga e Brandalise, muito mais que relatos diversos a respeito de histórias curiosas e encantadoras do Municipal, é um resgate da memória emocional do paulista, cuja história passa pela centenária casa de espetáculos.

capateatro

O Theatro Municipal de São Paulo
Histórias surpreendentes e casos insólitos
Edison Veiga
Vitor Hugo Brandalise
Ed. Senac
2013
R$ 44,90

A antiga São Paulo da Marquesa de Santos

Gosta de saber detalhes da história de São Paulo ? O site São Paulo Antiga está estreando seu calendário de eventos por São Paulo, com cursos, passeios turísticos, exposições e exibições de filmes. Para começar, temos um super passeio pelo centro histórico da Cidade de São Paulo.

A antiga São Paulo da Marquesa de Santos

Crédito: DivulgaçãoVamos conhecer a São Paulo em que nasceu Domitila de Castro do Canto e Melo, a Marquesa de Santos.

Iremos passear pelos locais onde ela morou com os pais, onde se casou com o primeiro marido e onde foi esfaqueada por ele. Durante o trajeto, falaremos a respeito da visita que o então príncipe D. Pedro fez à cidade de São Paulo em agosto de 1822, quando conheceu o grande amor de sua vida e da relação entre eles que durou 7 anos.

Contaremos como, após ser banida da corte, Domitila volta para São Paulo e se casa com o então governador do Estado, Rafael Tobias de Aguiar. Visitaremos e conheceremos por dentro o “Solar da Marquesa de Santos” na Rua Roberto Simonsen, palco de sarais e de encontros políticos orquestrados pela grande e respeitosa matriarca em que Domitila se transformou.

O passeio será guiado pela nossa guia Kátia Cristina e terá como convidado especial, o escritor e historiador Paulo Rezzutti, autor de “Domitila”, a recém lançada biografia da Marquesa de Santos. Ele irá apresentar os detalhes curiosos e interessantes de nosso trajeto.

O passeio, com início às 9:00hs* da manhã, terá duração de aproximadamente 3 horas e custará R$ 15,00. O grupo será fechado para um máximo de 40 pessoas.

Para participar do passeio, basta fazer o pagamento via Paypal**, clicando no botão abaixo. É possível pagar com cartão de crédito para até duas pessoas. Para outras formas de pagamento ou grupos maiores, consulte-nos. Após a confirmação do pagamento você irá receber um formulário online para preencher com seus dados pessoais.

Serviço:
Passeio – A antiga São Paulo da Marquesa de Santos
Data: 20/07/2013
Horário: 09:00hs
Ponto de encontro: Praça do Patriarca, diante da marquise
Tolerância: 15 minutos

Para o cadastro acesse: http://www.saopauloantiga.com.br/passeio-marquesa-de-santos/

São Paulo em 1944

Filme feito em 194 pela coordenção de Assuntos Interamericanos para promover as relações amistosas entre Brasil e Estados Unidos no meio da II Guerra Mundial. Imperdível!!!

//

Domitila, a verdadeira história da Marquesa de Santos

Meu novo livro acabou de sair da gráfica! Em breve nas melhores livrarias. Já em pré-venda na Livraria Saraiva, Livraria da Folha, Livraria Cultura, entre outras.

domitila_caixa

 

//

Ex-libris sobre São Paulo

Matéria do jornalista Edison Veiga do jornal O Estado de São Paulo falando sobre a minha coleção de Ex-Libris com alguns destaques referentes a São Paulo

 

ex_libris14_04

//

%d blogueiros gostam disto: